sexta-feira, 6 de abril de 2012

as fontes

Um dia quebrarei todas as pontes
Que ligam o meu ser, vivo e total,
À agitação do mundo do irreal,
E calma subirei até às fontes

Irei até às fontes onde mora
A plenitude, o límpido esplendor
Que me foi prometido em cada hora,
E na face incompleta do amor

Irei beber a luz e o amanhecer,
Irei beber a voz dessa promessa
Que às vezes como um vôo me atravessa,
E nela cumprirei todo o meu ser.

Sophia de Mello Breyner

6 comentários:

  1. Respostas
    1. Fernando, que bom ver-te de novo por aqui.

      Besitos :)

      Eliminar
  2. Disculpa la pregunta pero, ¿no recibiste un paquetito mio? :((

    ResponderEliminar
  3. isso quer dizer que alguém em Lisboa está com um paquetito que é meu!!!

    ResponderEliminar